Posts Tagged ‘Ray Harryhausen

22
Out
09

Mysterious Island (1961)

MysteriousIsland

The Mysterious Island é um dos meus filmes favoritos com efeitos visuais de Ray Harryhausen. Esta adaptação de um livro de Júlio Verne tem um bocado de tudo, incluindo uma gaja de mini-saia no século XIX. A história para quem não conhece gira em torno da fuga de um grupo de prisioneiros da União, durante a guerra civil americana, de um campo de prisioneiros em Richmond, Virginia. A espetacular fuga da prisão, é conseguida com o roubo de um balão que os soldados da Confederação usavam para observação. Graças a uma tempestade enorme, o balão é levado para Oeste através dos Estados Unidos até aterrar perto de uma ilha perdida no Oceano Pacífico. Esta ilha vai estar recheada de surpresas animadas por Harryhausen, que juntamente com uma dinâmica de Lost vs The Others consegue criar um clássico filme de aventuras, que nos cola ao ecrã até ao último minuto. Realizado por Cy Endfeld, com Michael Gray, Michael Callan, Gary Merrill, Dan Jackson, Percy Herbert, Joan Greenwood, Beth Rogan e Herbert Lom.

Típico rodeo à moda dos Boxinos, com uma galinha amestrada. Segue-se o encerramento das festas com o espetacular fogo preso de Páscoa e Cia Lda.

Típico rodeo à moda dos Boxinos, com uma galinha amestrada. Segue-se o encerramento das festas com o espetacular fogo preso de Páscoa e Cia Lda.

uwe-boll-thumbs-up

Reblog this post [with Zemanta]
Anúncios
16
Out
09

The 7th Voyage of Sinbad (1958)

Seventh_voyage_of_sinbad

O primeiro filme produzido a cores, onde Ray Harryhausen trabalhou, é também uma montra para o fanstástico legado de animação que Harryhausen tem. Pela primeira vez, fugiu do espectro da ficção científica, enveredando pelo da fantasia. Foi também a primeira vez que a técnica Dynamation recebeu os créditos pelo nome que é hoje conhecida (The Miracle of the Screen como aparece na sequência inicial). Sinbad (Kerwin Mathews) tem que salvar a princesa Parisa (Kathryn Grant) de forma a evitar uma guerra entre Bagdad e Chandra. O malvado feiticeiro Sokurah, encarnado por Torin Thatcher (o saudoso Humble Bellows em The Crimson Pirate), oferece falsas promessas de ajuda a Sinbad, de forma a que este o ajude a obter a lamparina mágica, na ilha dos Cíclopes. Filmado em Espanha, nos palácios de Alhambra e nas Ilhas Baleares, é sem dúvida um épico de aventura que vale a pena ver, ou rever, e que é ao mesmo tempo um dos melhores trabalhos de efeitos visuais de Harryhausen.

O ferrenho adepto sportinguista Sokurah prepara uma nova bomba de fumo para largar em Alvalade.

O ferrenho adepto sportinguista Sokurah prepara uma nova bomba de fumo para largar em Alvalade.

Rapte a filha do projeccionista para arranjar uma cópia pirata

Reblog this post [with Zemanta]
13
Out
09

Earth vs. the Flying Saucers (1956)

earth_vs_flying_saucers_1956

Hoje trazemos mais um filme da época clássica da ficção científica. Discos voadores de alienígenas são vistos a voar sobre os Estados Unidos, e depois de uma aterragem são atacados. Os pobres extraterrestres começam então uma campanha de retaliação até que o brilhantismo das mentes americanas consegue criar uma arma sonora capaz de derrotar os bicharocos que se movem em câmara lenta (ou à velocidade de sprint do Polga no relvado). Os efeitos visuais foram criados por Ray Harryhausen, e notoriamente não são tão espetaculares como alguns dos seus mais conhecidos trabalhos. Um filme que vale a pena ver pelo valor clássico que tem no género. De Fred Sears, com Hugh Marlowe, Joan Taylor, John Zaremba, Donald Curtis e Morris Ankrum.

Que raio de extra-terrestres seríamos nós se não tivéssemos um capacete em forma de ovo e um raio verde maligno.

Que raio de extra-terrestres seríamos nós se não tivéssemos um capacete em forma de ovo e um raio verde maligno.

Vale a pena deixar de ver a bola e a caneca da cerveja a aquecer para ver isto


Reblog this post [with Zemanta]
09
Out
09

The Animal World (1956)

TheAnimalWorldEste documentário sobre o mundo animal, veio aqui parar porque tem Harryhausen metido ao barulho. Ray Harryhausen e Willis O’Brien construíram a mais famosa parte do documentário de Irwin Allen, uma sequência de 10 minutos, sobre o mundo pré-histórico. Nesta fantástica sequência podemos ver alguns dinossauros dos mais conhecidos e uma luta entre um par de Ceratosaurus e um Stegosaurus, completa com sangue e tudo. Também vale a pena referir que foi a única vez que Harryhausen e O’Brien trabalharam juntos. Harryhausen tinha em O’Brien um dos seus ídolos dos efeitos especiais, principalmente por causa de King Kong.

Lagartixa #6 em audição para entrar no Parque Inácio.

Lagartixa #6 em audição para entrar no Parque Inácio.

Vale a pena deixar de ver a bola e a caneca da cerveja a aquecer para ver isto


Reblog this post [with Zemanta]
06
Out
09

It Came From Beneath The Sea (1955)

350-it-came-from-beneath-the-sea

Com um argumento simples q.b. It Came From Beneath The Sea consegue ser um filme bem agradável. Em plena era da ameaça nuclear do pós-guerra, um polvo gigante (animado por Harryhausen), afectado por radiação claro está, sai do seu covil nas profundezas do Pacífico para semear o pânico pelos mares até chegar onde? San Francisco obviamente. A Golden Gate deve ser a ponte mais usada para ataques e catástrofes na história do cinema. Lanço aqui um desafio aos cineastas nacionais: para quando um filme catástrofe para podermos ver a destruição da ponte 25 de Abril? O Ray Harryhausen com jeitinho ainda é capaz de cá vir passar umas férias e fazer umas animações. De Robert Gordon com Kenneth Tobey, Faith Domergue e Donald Curtis. Desfrutem da versão a cores do filme completo em baixo.

Onde é que está a salada de tubarão que me prometeram?

Onde é que está a salada de tubarão que me prometeram?

Arranje um emprego como vendedor de pipocas para ver o filme no cinema


Reblog this post [with Zemanta]
03
Out
09

The Beast From 20,000 Fathoms (1953)

the_beast_from_20000_fathoms_poster

O primeiro grande trabalho de Ray Harryhausen foi conseguido aqui. Este filme, produto da ficção científica influenciada pela histeria do pós-guerra, onde a radioactividade serve de desculpa para tudo. Neste caso em concreto nem é directamente responsável pela criação do monstro do poster, mas sim uma experiência no Pólo Norte, que faz com que um dinossauro com 10 milhões de anos seja descongelado e comece a descer até chegar a New York, porque só aí pode ganhar fama actuando nos teatros da Broadway e receber um Tony, o seu sonho. Palhaçada de lado, é um filme onde podemos ver os fantásticos efeitos de animação do dinossauro enquanto destrói a Big Apple, cortesia do mestre. De Eugène Lourié, com Paul Hubschimd, Paula Raymond, Cecil Kellaway, Kenneth Tobey, que também iria voltar a colaborar na destruição de outro monstro de Harryhausen, e como bónus, um jovem chamado Lee Van Cleef que salva a cidade da destruição. Em baixo podem ver o filme completo.

Ai não tenho altura para andar nisto. Então vou fazer birra e mais ninguém anda.

Ai não tenho altura para andar nisto. Então vou fazer birra e mais ninguém anda.

Arranje um emprego como vendedor de pipocas para ver o filme no cinema


Reblog this post [with Zemanta]
01
Out
09

Monstro Sagrado: Ray Harryhausen

ray_harryhausen.nb

O mago dos efeitos especiais e da animação Ray Harryhausen é o escolhido para Monstro Sagrado deste mês. As suas fantásticas criaturas povoam a imaginação de muita gente que cresceu a ver filmes com animação deste senhor, no meu caso lembro-me particularmente de vibrar com o caranguejo em The Mysterious Island e com a Medusa em Clash of the Titans, que vai ter um remake para breve.

Harryhausen abraçou cedo a paixão pelo cinema tendo frequentado cursos de edição e fotografia na University of Southern California quando ainda estava na escola secundária. Inspirou-se em King Kong e teve a sorte de viver numa época onde o género do fantástico e da ficção científica estava em voga, e sendo este um terreno fértil em criaturas e cenários diferentes do comum, Harryhausen encaixou na perfeição com as suas criaturas e estilo de animação. Inventou para isso a técnica a que chamou Dynamation e com a qual combinava as suas criaturas em stop motion em cenas de live action, revolucionando a animação da altura. Os seus modelos, sempre construídos pelo próprio, continuam ainda hoje a ser inconfundíveis e tornaram-se quase objectos de culto.

Para além de ter sido um excelente animador Harryhausen produziu, realizou, embora nunca gostasse muito de o fazer porque dizia que não sabia lidar com as pessoas, e escreveu as histórias da trilogia de Sinbad.

Retirado do cinema desde Clash of the Titans, hoje, Harryhausen serve como consultor de animação para vários projectos e ainda anima qualquer coisinha de vez em quando. Há alguns anos atrás lançou também um DVD com os seus primeiros trabalhos completos e participou ainda numa curta metragem “The Pit and the Pendulum”.

Reblog this post [with Zemanta]



Setembro 2017
S T Q Q S S D
« Mar    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Useful Links