Archive for the 'Monstro Sagrado' Category

01
Dez
09

Monstro Sagrado: Wesley Snipes

Guardamos para o final do ano um monstro daqueles que até a minha tia-avó conhece, e atenção que a mesma tem Alzheimer. Eis então que temos o Sr. Wesley Snipes a fazer-nos companhia durante o mês de Dezembro. Snipes nasceu 31 de julho de 1962, em Orlando, o filho de Mariana, uma professora auxiliar e um pai engenheiro aeronáutico. A sua infância foi no Bronx, Nova Iorque. Estudou na Universidade Estadual de Nova York, em Purchase, antes de ser convidado a deixar o prestigioso Conservatório Acting no seu penúltimo ano. Snipes também estudou durante alguns anos no Southwest College, em Los Angeles. Com 26 anos Snipes foi descoberto por um agente durante a realização de uma competição. Fez sua estreia no cinema no filme Wildcats, com  Goldie Hawn. Em 1987, ele apareceu como rival de Michael Jackson, no videoclip de Martin Scorsese “Bad” (ele é visto apenas na versão longa do vídeoclip) e no filme Streets of Gold.

O desempenho de Snipes no vídeo da música “Bad” chamou a atenção do realizador Spike Lee. Snipes recusou um papel pequeno em “Do the Right Thing” de Lee  para participar como Willie Mays Hayes em “Major League”,  sendo que a partir deste filme começou uma série de sucessos de bilheteria de Snipes. Lee, mais tarde, conseguiu convencer Snipes a fazer do saxofonista Shadow Henderson em “Mo ‘Better Blues” e como líder no romance interracial “Jungle Fever“. Outro papel importante para Snipes foi Nino Brown, um poderoso barão da droga em “New Jack City“. Outro filme em que sua personagem era envolvido com drogas foi o filme sombrio “Sugar Hill“. Embora Snipes seja mais conhecido por seus papéis em filmes de acção como Passageiro 57, Demolition Man (com Sylvester Stallone), Money Train, U.S. Marshals (uma sequela de O Fugitivo) e Sol Nascente (com Sean Connery), ele também teve sucesso nas comédias como White Men Can’t Jump e Para Wong Foo Thanks for Everything, Julie Newmar onde fez de drag queen, juntamente com Patrick Swayze e John Leguizamo. Snipes também tem sido aclamado pela crítica por seus papéis em dramas como “The Waterdance”. 1998 marcou o maior êxito da carreira com o lançamento de Blade, que já arrecadou mais de 150 milhões de dólares em todo o mundo. O filme se transformou em uma bem-sucedida série. Ele também recebeu uma estrela na Calçada da Fama. A maioria de seus últimos filmes foram lançados diretamente em DVD. Seus mais recentes filmes são The Shooter (também conhecido como The Contractor), filmado na Bulgária e no Reino Unido, com Charles Dance, Lena Heady, Eliza Bennett, e Gallowwalker, previsto para ser lançado em 2009. Snipes foi originalmente escalado para jogar um dos quatro personagens principais do filme de Spike Lee guerra de 2008, Miracle at St. Anna, mas teve de deixar o filme devido aos seus problemas fiscais amplamente divulgado, e seu papel foi eventualmente a Derek Luke. Sendo que também teve  de recusar o papel de  Hale Ceasar em “The Expendables” devido a não poder deixar os Estados Unidos sem a aprovação do tribunal.

Na década de 1990, Snipes e seu irmão lançaram uma empresa de segurança chamada a Guarda Real de Amon-Ra, dedicada ao fornecimento de VIPs com seguranças treinados na aplicação da lei e de artes marciais. Em 2000, o negócio foi investigado por supostas ligações com um grupo chamado United Nuwaubian Nation of Moors. Em 2005, Snipes estava em negociações para lutar, num programa de TV com Joe Rogan, a estrela do Fear Factor, também cinto de jiu-jitsu castanho e comentarista do UFC. Snipes tem sido associada a um número de mulheres, incluindo Jada Pinkett Smith, Sanaa Lathan, Halle Berry e Jennifer Lopez. Ele foi casado duas vezes: primeiro, até April  Snipes de 1985-1990, com quem tem um filho, Jelani Asar Snipes, nascido em 1988. Jelani teve uma participação especial no filme  “Mo ‘Better Blues”. Em 2003, Snipes casou-se com a pintora Nakyung “Nikki” Park, que é a mãe dos seus quatro filhos:  Akhenaton Kihwa-Snipes T;  Iset Jua-Snipes T (nascido em 31 de julho de 2001); Alaafia Jeú-Snipes (T 26 de maio, 2004) e Alimayu Moa-Snipes T (nascido em 26 de março de 2007). Snipes converteu-se ao islamismo em 1978, mas posteriormente deixou o Islão em 1988. Sua religião atual é desconhecidas. Em 12 de outubro de 2006, Wesley Snipes, Eddie Ray Kahn e Douglas P. Rosile foram acusados de uma acusação de conspiração por fraude. O governo alegou que Snipes tentou obter reembolsos fiscais fraudulentos, utilizando uma teoria manifestante imposto chamado de argumento “861” essencialmente, um argumento de que a renda doméstica dos cidadãos e residentes E.U. não é tributável. A acusação disse que Snipes tinha usado contabilistas que já tinha um histórico de apresentação da declaração falsa para obter a restituição de pagamentos para seus clientes. Em 1 de fevereiro de 2008, Snipes foi absolvido na contagem de crime de conspiração de fraude para com o governo e sobre a acusação criminal de uma afirmação falsa com o governo. Ele, contudo, foi considerado culpado de três acusações de delito de ter deixado de declarar imposto de renda. Em 24 de abril de 2008, Snipes foi condenado a três anos de prisão por omissão intencional de declarar imposto de renda, Enquanto os advogados de defesa pediu clemência, os procuradores argumentaram que Snipes deverá ser um exemplo por causa de sua fama. Desde abril de 2009, Snipes permanece livre sob fiança para o trabalho, mesmo em viagem internacional, enquanto apela de sua condenação. Em 2005, Snipes processou a New Line Cinema  e David S. Goyer (diretor de Blade: Trinity), alegando que o estúdio não pagou o seu salário por inteiro, que foi intencionalmente cortado do elenco de decisões do processo de filmagem, apesar de ser um dos produtores, e que a sua personagem na tela foi reduzida em favor das outras estrelas, Ryan Reynolds e Jessica Biel.

Neste momento poderemos dizer que daqui a nada teremos Wesley em produções Asylum, que concerteza todos nos iremos ver com agrado.

Reblog this post [with Zemanta]
01
Nov
09

Monstro Sagrado: Sho Kosugi

sho kosugi with sword

Depois de uma reunião das altas esferas da direcção do SHV, ao mais alto estilo (não existem registos fotográficos, mas para terem uma ideia, assistam ao 5 minutos iniciais do vídeo A Sardinha, da Paraíso Filmes, para terem uma ideia como foi), num restaurante chinês, que fica localizado num local que nem nós sabemos bem onde fica, decidimos por unaminidade que o monstro sagrado deste mês seria Sho Kosugi.

Sho Kosugi, aka Shô Kosugi, tem 1,85 m e é um grande amigo da redacção, em virtude de provavelmente sermos os únicos em Portugal que assistimos aos filmes dele. Sho (Shõichi) nasceu a 17 de Junho de 1948, em Minato, arredores de Tóquio. Aos 5 anos e meio de idade começou a treinar a arte de bem arrear no pessoal com estilo (também conhecido como artes marciais), sendo que aos 18 anos já possuía, entre outros, o titulo de campeão de Karaté All-Japan. Aos 19 anos, decide arrumar a trouxa e partir à conquista do American Dream. Após 8 anos a fazer de duplo e de extra no cinema, consegue atingir o seu primeiro papel de relevo. Hoje em dia, é considerado o primeiro actor Nipônico a atingir o patamar de Superstar.

Durante os finais dos anos 70 e até finais dos 80, Sho entrou em várias produções, com o selo de qualidade Cannon, onde normalmente interpretava o papel de Ninja. Com papéis em filmes como Enter the Ninja (1981), Revenge of the Ninja (1982), Ninja III: The Domination (1983), Nine Deaths of the Ninja (1984), Pray for Death (1985), Rage of Honor (1986), Master Class (1985) e Ninja Theater (1986), Sho conseguiu obter sucesso internacional. Pat Rod, jornalista reconhecida do meio cinematógrafico, conta que em viagens que fez à Grécia e a Turquia, o povo perguntava-lhe se ela conhecia o Sho. Tentou no final dos anos 80, obter uma nova imagem, participando em filmes em que não fazia de ninja: Black Eagle (1987), do qual a redacção do SHV já falou,  Blind Fury (1988) e Journey of Honor: Shogun Mayeda (do qual também foi produtor em 1990), são alguns dos exemplos da tentativa de tirar o fato negro.

Afastado do cinema desde essa altura, Sho fundou em Hollywood o Sho Kosugi Institute (SKI), que tenta ajudar jovens promessas, tanto nas áreas das artes marciais, bem como nas arte da ginástica, dança, interpretação, musica e Taiko (são os tambores Japoneses). Participou, dando a contribuição para os movimentos e voz no jogo Tenchu e está para breve o seu regresso ao grande ecrã, com Ninja Assassin. De salientar, que por várias vezes os seus dois filhos, Shane e Kane Kosugi, participaram em várias das suas incursões cinematógraficas.

Reblog this post [with Zemanta]
01
Out
09

Monstro Sagrado: Ray Harryhausen

ray_harryhausen.nb

O mago dos efeitos especiais e da animação Ray Harryhausen é o escolhido para Monstro Sagrado deste mês. As suas fantásticas criaturas povoam a imaginação de muita gente que cresceu a ver filmes com animação deste senhor, no meu caso lembro-me particularmente de vibrar com o caranguejo em The Mysterious Island e com a Medusa em Clash of the Titans, que vai ter um remake para breve.

Harryhausen abraçou cedo a paixão pelo cinema tendo frequentado cursos de edição e fotografia na University of Southern California quando ainda estava na escola secundária. Inspirou-se em King Kong e teve a sorte de viver numa época onde o género do fantástico e da ficção científica estava em voga, e sendo este um terreno fértil em criaturas e cenários diferentes do comum, Harryhausen encaixou na perfeição com as suas criaturas e estilo de animação. Inventou para isso a técnica a que chamou Dynamation e com a qual combinava as suas criaturas em stop motion em cenas de live action, revolucionando a animação da altura. Os seus modelos, sempre construídos pelo próprio, continuam ainda hoje a ser inconfundíveis e tornaram-se quase objectos de culto.

Para além de ter sido um excelente animador Harryhausen produziu, realizou, embora nunca gostasse muito de o fazer porque dizia que não sabia lidar com as pessoas, e escreveu as histórias da trilogia de Sinbad.

Retirado do cinema desde Clash of the Titans, hoje, Harryhausen serve como consultor de animação para vários projectos e ainda anima qualquer coisinha de vez em quando. Há alguns anos atrás lançou também um DVD com os seus primeiros trabalhos completos e participou ainda numa curta metragem “The Pit and the Pendulum”.

Reblog this post [with Zemanta]
01
Set
09

Monstro Sagrado: Lance Henriksen

lanceh

(Charles) Lance James Henriksen é o nosso monstro sagrado do mês de Setembro. Nascido a 5 de Maio de 1940, em Manhattan, filho de um marinheiro mercantil e boxeaur e de uma professora de dança, empregada de mesa e modelo. Com os pais divorciados quando ele tinha apenas dois anos, viveu a infância com sua mãe. Sendo uma criança problemática, teve vários problemas na escola, da qual fugiu com apenas 12 anos. Só aprendeu a ler, cerca dos 30 anos, praticando sozinho ao ler guiões de filmes. Passou a adolescencia a vaguear nas ruas de Nova Iorque e viajando pelo país de comboio. Passou algum tempo na prisão por pequenos crimes, tais como vagabundo. Foi durante este tempo, que ele conheceu os amigos de toda a vida, James Cameron e Bruce Kenselaar.

O primeiro contacto deste monstro com os palcos foi como designer de palcos. Aos trinta anos, Lance acabou o curso no famoso Actor´s Studio. O seu primeiro papel foi no filme Ain´t That Easy de 1972. Foi secundário em filmes como Close Encounters of The Third Kind de 1977 e em Damiem: Omen II de 1978. Participou em The Right Stuff de 1983 e fez de Charles Bronson no filme para TV Reason for Living: The Jill Ireland Story.

Quando James Cameron estava a escrever o filme The Terminator de 1984, o papel principal era para ser de Lance. Cameron chegou ao ponto de pintar o Exterminador com a cara de Lance e obrigou o actor a vestir como Exterminador para uma reunião com a produtora. Para infelicidade de Lance o papel foi cair no colo de Arnold Schwarzenegger. Lance chegou a aparecer no filme, mas num pequeno papel como o detective Hal Vucovich. Também o papel de Jeepers Creepers foi escrito tendo Lance em mente, e ainda a série Millennium de Chris Carter, criador de X-Files, onde Lance encarnou Frank Black que lhe valeu o sucesso nos Globos de Ouro.

Provavelmente o papel de onde toda a gente o reconhece é o do Andróide Bishop, no filme de Cameron, Aliens. Curiosamente Lance Henriksen e Bill Paxton são os únicos actores que conseguiram participar nos filmes das sagas Alien, Predator and Terminator.

Hard Target é um dos filmes preferidos de  Henriksen. Ele gostou de trabalhar com John Woo e o filme também foi notável com a cena de Henriksen envolvido acidentalmente em chamas e sem recurso a chamas. Henriksen depois comentou sobre este incidente, dizendo: Eu competia com Van Damme.

Hoje em dia Lance é uma das estrelas dos estúdios The Asylum, juntamente com C. Thomas Howell e Lorenzo Lamas, aparecendo frequentemente nos mockbusters e instant classics que a produtora vai lançando. Para além de filmes, Lance participa em alguns jogos de vídeo, como actor de voz, sendo um dos últimos Mass Effect da Bioware.

Reblog this post [with Zemanta]
01
Ago
09

Monstros Sagrados de Férias com a Redacção do SHV

Uma vez que é Agosto, e muitos emigrantes regressam a Portugal, os Monstros Sagrados também foram de férias este mês, juntamente com a redacção do SHV para a paradisiaca ilha do Hammerhead.

Os monstros sagrados a curtir a noite no resort

Os monstros sagrados a curtir a noite no resort

Pelo meio, tivemos uma surpresa agradável, encontrámos Arnold Schwarzenegger, que tinha tirado uns dias de férias da não governação da California. Convidamos o rapaz para malhar uns copos com a malta mas ele não sei lá muito bem e o Sven acabou por ter que o ir por a casa.

Arnold, anda lá deixa as raparigas em paz, ainda lixas o esquema ao Bruce.

Arnold, anda lá deixa as raparigas em paz, ainda lixas o esquema ao Bruce.

Descobrimos também que todos eles são fãs de surf, bem todos menos o Sven, que disse que preferiu ficar no bungalow a tratar da sua dieta de frango com cerveja.

Os monstros foram à praia e aproveitaram para praticar surf

Os monstros foram à praia e aproveitaram para praticar surf

A especialidade culinária do Sven - Frango com cerveja

A especialidade culinária do Sven - Frango com cerveja

Reblog this post [with Zemanta]
01
Jul
09

Monstro Sagrado: Bruce Campbell

bruce_campbell_army_of_darkness

Bruce Campbell é o rei dos actores série B. Ninguém é mais conhecido do que ele, o que é de certa forma paradoxal, uma vez que a maioria destes actores fazem a carreira toda sem serem sequer mencionados ou terem fãs, coisas que Bruce tem de sobra. Começou a carreira com Sam Raimi, fazendo uma curta metragem extremamente amadora, chamada Within the Woods, que serviu de base a Evil Dead, o mega sucesso de Raimi feito com um orçamento pequenino. Nesta saga, Bruce faz o papel que o marcará para sempre, Ash, o homem que corta a própria mão para não se tornar num morto vivo. As duas sequelas de Evil Dead, um filme de terror, acabam por ser cada vez mais hilariantes até ao ponto de já serem consideradas comédias. Ainda nos anos 80, Bruce entrou em clássicos como Maniac Cop e Moontrap. É a cara da fuga de Liam Neeson em Darkman, e faz inúmeros papéis secundários em filmes bem conhecidos, como a saga Spider Man, pela amizade que tem com Sam Raimi, ou em filmes como Congo, Escape From L.A., The Quick and the Dead (mais uma vez Raimi), e a inesquecível cena do actor de telenovela em Fargo.

Para além destas participações menores continua a entrar em filmes de baixo orçamento, mantendo o estatudo do Rei da Série B. Participações em filmes do SciFi como Alien Apocalypse ou Man With the Screaming Brain, realizando até alguns, nunca deixando de arrancar uns filmes do anonimato e torná-los em culto como Bubba Ho-Tep. Na TV participou em diversas séries, mais notoriamente em Hercules e Xena, e hoje em dia pode ser visto na excelente série da USA Network, Burn Notice, como Sam Axe, um espião reformado que vive em Miami, repartindo o tempo entre a praia, os copos e as mulheres.

Bruce Campbell tem também diversas aparições em nome próprio, como em Comic Book: The Movie, onde é escolhido para dar corpo ao super herói Captain Courage na ComiCon em San Diego, e pode gabar-se de ser dos poucos actores que têm direito a ter um filme dedicado a ele próprio, interpretado e realizado pelo próprio Bruce: My Name Is Bruce, do qual já falámos aqui no SHV.

Para provar que é mesmo um homem para todos os ofícios, Bruce escreveu uma autobiografia intitulada If Chins Could Kill: Confessions of a B Movie Actor e mais recentemente publicou também Make Love! The Bruce Campbell Way.

Vale a pena ver esta entrevista abaixo, onde Bruce fala sobre a indústria do cinema, orçamentos e filmes série B. Se até aqui não acreditaram que Bruce é um monstro sagrado, depois desta entrevista vão acreditar.

Reblog this post [with Zemanta]
01
Jun
09

Monstro Sagrado: John C. McGinley

John C. McGinley

E o monstro sagrado deste mês é John Christopher McGinley. Nascido a 3 de Agosto de 1959, filho da professora Patricia e do corrector de bolsa Gerald McGinley, Johnny ” The Butcher” C. é bastante conhecido dos olhos do publico que costuma assistir a séries de bata branca. Ele é Dr. Perry Cox em Scrubs.

Fez de tudo um pouco, trabalhando tanto em peças da Broadway, bem como até caddy do famoso jogador de golfe Arnold Palmer no U.S. Open.

Utilizado bastante como actor secundário, Johnny começou a dar nas vistas, numa peça teatral ao lado de John Turturro, onde foi convidado a efectuar um casting e ser aceite para o papel de Sarge Red O´Neill no Platoon de Oliver Stone, seguindo-se um papel em Wall Street e em Talking Radio, também de Stone.

Já na decada de 90, entrou em Point Break, Article 99, Wagon´s East!, Se7en, The Rock, Nothing to Lose, Office Space, Are We Done Yet e em Wild Hogs como cop gay.

Venceu um prémio no Method Fest, pela interpretação no filme Two Tickets to Paradise em 2006 e foi nomeado em 2002, no Television Critics Association Awards e em 2003 no Satellite Awards pelo seu desempenho em Scrubs.

Emprestou a sua voz a série de banda desenhada Justice League Unlimited e ao jogo da PSP Dead Head Fred. Participou no American Gladiator.

Casou em 1997 com Laurent Lambert e teve um filho que nasceu com sindrome de Down. Divorciou-se em 2001 e voltou a casar com a sua instrutora de Yoga, Nicole. Eleito pai do mês de Outubro de 2002, pela iParenting.com, desde 2006 que é o porta-voz da fundação do Sindrôme de Down e Possui um lugar cativo no Billy Gilroy´s New York SoHo Bistro´s (tipo casa das bifanas lá do sitio) a par de Willem Dafoe. É vizinho, em Malibu de, entre outros, John Cusack, Tony Danza, Chris Chelios, Laird Hamilton, Gabrielle Reece e John McEnroe.

Reblog this post [with Zemanta]
01
Maio
09

Monstro Sagrado: Lou Diamond Phillips

loudiamondphillipsLou Diamond Phillips, ou simplesmente LDP, é um actor americano, que no entanto tem ascendente filipino, espanhol, britânico, havaiano, chinês, japonês e cherokee, numa mistura explosiva que lhe dar um ar que serve para fazer todo o tipo de papéis. Ficou conhecido na década de 80 com os sucessos La Bamba (1987), Stand and Deliver (1988) com o qual recebeu um Independent Spirit Award para melhor actor secundário e ainda uma nomeação para um Globo de Ouro. La Bamba aliás confunde-se com Lou “Crazy” Diamond, e é o mais conhecido filme dele, sem qualquer dúvida. Lou entrou também em grandes sucessos de Hollywood como por exemplo Young Guns (1988) e Young Guns II (1990) e Courage Under Fire (1996), mas é na divisão mais baixa em termos orçamentais que Lou dá cartas com sucessos como Bats (1999), Route 666 (2001), Red Water (2003) e o velhinho Interface (1984). Mas não só pelo cinema este homem se fica. Faz valer-lhe o curso de Drama que tirou na prestigiada Universidade do Texas em Austin e protagonizou algumas peças na Broadway, mais notavelmente The King and I, pela qual foi nomeado para o Tony para melhor actor em 1996, e ganhou o Theatre World Award e  o New York Outer Critics Circle Award for Outstanding Broadway Debut of an Actor.

O multifacetado Lou aventurou-se ainda na realização com dois filmes em 1994: Sioux City e Dangerous Touch que pouco sucesso fizeram. Sem desistir Lou regressa agora com um novo projecto feito para o canal Hallmark, esse poço sem fundo de grandes produções, com Love Takes Wing, que realiza e protagoniza, aproveitando ainda para meter a famelga toda no filme, (3ª mulher e as filhas).

De notar ainda um momento importante na carreira do senhor La Bamba, em 2001, quando contracenou novamente com o seu amigo das cóboiadas Kiefer Sutherland, na primeira temporada de 24, iniciando uma vigorosa dinastia de monstros sagrados na série que ainda hoje dura. Lou Diamond Phillips é de facto um actor que se multiplica em inúmeros papéis, seja o xerife da pequena cidade, seja o agente secreto ou o índio a cavalo. Está em todas as frentes e é um verdadeiro homem das artes merecendo daqui da redacção um grande bem-haja que nós cá esperamos as próximas bombas dele.

Reblog this post [with Zemanta]
01
Abr
09

Monstro Sagrado: Michel Qissi

tong-po1

E o mostro sagrado deste mês é Michel Qissi mais conhecido como o némesis de JCVD em Kickboxer, Tong Po. Actor de dupla nacionalidade (marroquina e belga), com 189 cm de altura, nascido em 12 de Setembro 1967 em Oujda, pouco tempo depois muda-se com a sua família para a Bélgica. Aos sete anos já treinava boxe. É então que conhece e cria amizade com Jean Claude Van Varenberg (troquem o Varenberg por Damme e já sabem de quem falamos), com nove anos. Embora desconhecido na Europa, Michel é um actor que participou em todos os filmes que foram êxitos do Mr. Músculos de Bruxelas e em quase todos os grandes êxitos de filmes de artes marciais das ultimas duas décadas e trabalhou ao lado dos melhores artistas do género.

Nos filmes de Van Damme, fez sempre papéis secundários, como em Bloodsport e em Lionheart (a.k.a. A.W.O.L. – Absent With Out Leave). O seu salto para a fama deu-se com Kickboxer, onde interpreta o seu alter-ego Tong Po, uma figura tão odiada como o Darth Vader. Tudo isto se deveu, a que em 1982, Van Damme e Michel Qissi foram para Hollywood tentar a sua sorte nos filmes de acção. A sorte sorri-lhes em 1986. Após uma entrevista com Menahem Golan da Cannon Pictures conseguem o triplo contracto. Mas em Cyborg, Qissi não faz a sua aparição no grande ecrã, ficando relegado só para personal trainer de Van Damme. Após isto, fez mais uma sequela de Kickboxer, onde sem dúvida ele era sempre a estrela como Tong Po. Participou em mais alguns filmes do género, embora se tenha dedicado a ser encenador de cenas de luta e ultimamente tem-nos presenteado com alguns filmes do género como realizador, tais como Terminator Woman e Extreme Force.

Fundou também a WCCF (World Cinema Combat Federation) com o grão-mestre Beom Jhoo Lee para ensinar as pessoas como devem fazer as cenas de combate nos filmes. A WCCF faz a instrução de mestres que ensinam combate de cinema a artistas de artes marciais que estejam interessados em serem estrelas de filmes de acção. Durante este mês iremos expor algumas das suas obras aqui a nú. Nós aqui na redacção temos um poster autografado por ele e ele é nosso amigo pessoal (quando vem a Portugal, vêm sempre beber uma jola e papar uns tremoços com a malta, e gosta de ir ao Estádio da Luz de tal maneira que já tirou fotos com os jogadores todos, depois de ter ameaçado que se não lhe deixassem tirar as fotos, punha-se a joelhada aos pilares do estádio). Um abraço para ti, Michel, és o maior.

Reblog this post [with Zemanta]
01
Mar
09

Monstro Sagrado: Sven-Ole Thorsen

sven

Como é dia 1 vamos iniciar uma nova rubrica: Monstro Sagrado. Nesta rubrica vamos desvendar alguns dos mitos vivos do cinema que por uma ou vinte razões não são reconhecidos como mestres na 7ª arte. O homem que tem a honra de abrir este novo espaço é nada mais nada menos que o Sven-Ole Thorsen.

Sven-Ole Thorsen é um actor/duplo dinamarquês com uma carreira de 30 anos no cinema contando com mais de 60 participações em filmes que todos conhecemos e adoramos. Como amigo culturista do governador da California no início dos anos 80 entrou no clássico de John Milius, Conan The Barbarian e repetiu a participação na sequela, Conan The Destroyer. Participou ao longo da carreira em vários filmes com o governador da California mas ficará para sempre marcado pelo papel de Lt. Michael ‘Tank’ Ellis na série de ficção científica Captain Power and the Soldiers of the Future onde deitava paredes abaixo e disparava armas lasers contra inimigos virtuais num espetáculo visual ainda hoje difícil de digerir, tal era a inovação no pequeno ecrã. Conta ainda com participações em êxitos como Lethal Weapon, George of the Jungle, The Quick and the Dead, Eraser, End of Days e finalmente Gladiator, filme que lhe valeu 2 prémios Taurus, no papel do imponente Tigris, na edição inaugural destes prémios.

Não se deixando levar pelo glamour das luzes mais brilhantes de Hollywood entra também em várias produções de baixo orçamento como Abraxas, Guardian of the Universe, Mallrats, The Viking Sagas onde contracena com Ralf Moeller, Kull the Conqueror e Route 666. Muitos não saberão ainda de um outro papel importante na carreira que passa despercebido em Dragon: The Bruce Lee Story onde faz o papel do demónio nos pesadelos de Bruce Lee.

Hoje a entrar na terceira idade Sven escreveu uma auto-biografia Stærk mand i Hollywood (Strong man in Hollywood) que esperamos que seja traduzida pelo menos para inglês (e quando o for daremos aqui notícia disso) de forma a conhecer melhor este gigante dinamarquês, um verdadeiro monstro sagrado do cinema.

Reblog this post [with Zemanta]



Julho 2021
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Useful Links