Author Archive for João Martinho

20
Dez
09

Los Violadores aka Mad Foxes (1982)

Acção em Barcelona. É como este filme se devia chamar em português. E acção de todos os géneros. Esta pérola dos nuestros hermanos é um autêntico delírio que não deixa ninguém indiferente. Paul Grau teve aqui o momento alto da sua carreira, sem qualquer tipo de dúvida (e nem preciso de ver mais nada dele para dizer isto). Vamos tentar explicar. Los Violadores começa com um casal, conduzindo um Corvette dos anos 70. O casal é interpolado por um grupo de motoqueiros nazis e na fuga um dos antagonistas tem um acidente e morre. Bah, nada de especial. O condutor quer mas é levar a sua namorada que completa 18 primaveras nesse mesmo dia a um jantar romântico. E qual a melhor prenda que se pode dar a uma namorada virgem de 18 anos perguntam vocês? Uma garrafa de Ballantine’s responde Hal (José Gras) o herói da película. A caminho de casa os motoqueiros atacam o casal, espancando Hal e violando Babsy (Andrea Albani, estrela do softcore espanhol dos anos 80). Como isto das violações tipicamente despoleta vinganças, Hal liga para o seu amigo kickboxer, que tem um dojo cheio de aprendizes desejosos de colocar em prática os ensinamentos do mestre, e então enquanto os motoqueiros fazem um funeral para o amigo, Hal e os kickboxers (que espetacular nome para uma banda) encetam uma bonita mutilação genital ao chefe do gangue e arream, de uma forma geral, no resto do bando.

Seguem-se duas ou três cenas capazes de saciar o mais fervoroso adepto do softcore, uma das quais passada numa banheira com água verde, certamente produto dos sais de banho comprados na fronteira de Vilar Formoso. Mas como estamos perante uma espécie de ping pong no argumento, chega a vez de os bandidos se vingarem da vingança de Hal. Cavalgando as suas potentes Montesa 125 (é mágico ver nazis em Montesas a estacionar numa tasca com um sinal da Fanta) assaltam a casa dos pais de Hal, chacinando as criadas e os progenitores do nosso desgraçado herói. E, como já devem estar a adivinhar, vem aí a vingança final de Hal. Pegando no seu Corvette e conduzindo pela Praça da Catalunha e Ramblas abaixo, pede indicações numas bombas de gasoil para o covil dos bandidos. Numa tasca (mais uma vez, só a magia do cinema poderia estacionar um Corvette ao pé de um Kubota) local, e depois de mamar uma Aldeia Velha por 35 pesetas, Hal enfia uma granada na sanita onde se encontra um dos violadores sentado, numa das mais originais mortes já encenadas.

A banda sonora é excelente e faz inveja a La Mandanga de El Fary. Os actores são todos estrelas do soft e hardcore espanhol da década do mundial espanhol. As passagens são geniais, Hal tem uma arma diferente em cada plano. Os diálogos são fabulosamente inapropriados e tão desconcertantes que é complicar não rir. A violência é gratuita, todas as mortes são bem esgalhadas, e no final até tem um twist completamente inesperado da minha parte, devo referir. Realizado por Paul Grau, com José Gras, Laura Prennica, Andrea Albani, Ana Roca, Hank Sutter, Peter John Saunders, Brian Billings, Diana Miller, Eric Falk, Helmi Sigg e Mary-Ann Vaughn. Totalmente recomendado, se possível sob o efeito de substâncias nocivas para os roedores em particular e mamíferos em geral.

Marante, numa festa com El Fary e Manolo Escobar, na mansão deste em Esparreguera, durante a polémica digressão na Catalunha em 1982.

Reblog this post [with Zemanta]
18
Dez
09

Extract (2009)

Dez anos depois de ter realizado Office Space, Mike Judge regressa com Extract, uma comédia sobre o dia a dia do dono de uma fábrica de extracto de baunilha e outros sabores, Joel, encarnado por Jason Bateman. Um acidente bizarro que vitima Step (Clifton Collins Jr.) e o deixa sem um testículo, leva a que a fábrica corra o risco de falência, devido ao processo que Step quer instaurar, com a ajuda do seu advogado Joe Adler (uma aparição de Gene Simmons!) e da vigarista em fuga Cindy (Mila Kunis). A juntar aos problemas no trabalho, a mulher de Joel (Kristen Wiig) não quer ter sexo com ele e Joel vira-se para Dean (Ben Affleck), o seu melhor amigo que lhe dá uns quantos conselhos sob o efeito de drogas, que eventualmente complicam a vida de Joel. Na realidade, Extract, podia ter sido bem melhor, não estando ao nível de Office Space. Algum humor negro está presente, mas no geral, fica a sensação que Mike Judge podia ter feito muito melhor, principalmente com o elenco que teve a sua disposição, muitos dos quais têm entrado nesta nova onde de comédia americana.  A personagem de Mila Kunis, por exemplo, parece que caiu de pára-quedas no argumento e nunca dá a sensação de que realmente pertence ao filme. Conta ainda com J. K. Simmons, David Koechner, Dustin Milligan, Beth Grant e Matt Schulze.

Encenação da contratação de Carvalhal para o Sporting pelo grupo teatral da Liga dos Amigos dos Enxames

Vale a pena deixar de ver a bola e a caneca da cerveja a aquecer para ver isto


Reblog this post [with Zemanta]
16
Dez
09

Precious: Based on the Novel Push by Sapphire (2009)

Precious (cujo título há quase um ano antes de ir para Sundance era Push), anda a rodar em festivais de cinema desde o início de 2009, e tem ganho mais prémios do que há espaço aqui para os listar. Finalmente estreado, numa jogada que me parece direccionada para os Óscares de 2010, tem feito sucesso também na bilheteira. Gabourey Sidibe é Precious, uma jovem negra de dezasseis anos, obesa, analfabeta e grávida pela segunda vez do seu próprio pai. Gabby faz aqui a sua estreia como actriz e pode dizer-se que se estreia em grande. Precious tem carisma, é credível, é violenta e emocional, e dividida entre os sonhos e a realidade. Mo’nique faz, na minha opinião, o melhor papel do filme, a mãe de Precious, que vive dos welfare checks, enganando as autoridades, fingindo que toma conta da filha e da neta, revoltada contra a própria filha por esta ter roubado o amor do seu amante que assim a abandonou. Depois temos Paula Patton no papel de uma professora que vai ajudar Precious e mais umas quantas raparigas a aprender a escrever, ler, de forma a tirarem o GED. Os músicos Lenny Kravitz e Mariah Carey têm aqui também a oportunidade de fazer papéis secundários e no caso de Lenny, estrear-se no cinema. Tyler Perry e Oprah, depois do sucesso que Precious fez em Sundance pegaram no projecto para o promover. A realização foi de Lee Daniels e conta ainda com Sherri Shepherd, Angelic Zambrana, Stephanie Andujar, Chyna Layne, Amina Robinson e Xosha Roquemore. Apostem neste filme para umas poucas de nomeações para o próximo mês de Fevereiro.

Precious no seu jogging matinal, como recomendado pelo seu nutriocionista, Miguel Veloso.

Rapte a filha do projeccionista para arranjar uma cópia pirata


Reblog this post [with Zemanta]
14
Dez
09

Megafault (2009)

Chegou o filme catástrofe do ano. Pela primeira vez uma aliança entre os estúdios The Asylum e o canal Syfy foi assinada e o resultado é Megafault. Tudo em redor desta super-produção foi planeado ao pormenor. O realizador é nada mais nada menos que David Michael Latt, o homem forte e co-fundador da Asylum. As estrelas foram escolhidas a dedo. Brittany Murphy no papel de uma sismóloga que é apanhada no meio de um gigantesco terramoto que afecta os Estados Unidos; Eriq Lasalle no papel de um perito em explosões que está a demolir uma montanha, mesmo no epicentro do sismo e ainda Bruce Davison como consultor da FEMA. Com um elenco destes só se podia esperar um sucesso e Megafault não desiludiu, sendo o filme mais visto de sempre nos últimos dois anos e meio na história do Syfy com mais de 2.5 milhões de espectadores. Eu confesso a minha atracção por filmes que contenham o prefixo mega incluído no título. É sempre um excelente prenúncio e normalmente quer dizer que podemos ver coisas grandes que não existem, que no fundo, é um dos benefícios do cinema. Neste caso Megafault é um gigantesco terramoto que ameaça partir os Estados Unidos ao meio e que só pode ser parado com recurso a uma arma que parece tirada de um filme do 007. Algum uso de clichés aqui e ali, ocasional lipsync, muito CGI e explosões de fazer inveja a Michael Bay e até referência a um super vulcão (para estar em sintonia com o mega terramoto) que não vai poupar nada nem ninguém. Altamente recomendado.

Bombardeamentos ordenados pelo General Catita das forças de libertação da Póvoa da Palhaça, durante a guerra dos três quinze dias.

Vale a pena deixar de ver a bola e a caneca da cerveja a aquecer para ver isto


Reblog this post [with Zemanta]
12
Dez
09

O que eu já fiz para comer pão – Steven Seagal (parte 2)

Não sendo propriamente uma coisa que Steven Seagal já fez para comer pão, hoje vamos debruçar-nos sobre o que o mestre do Aikido faz actualmente para comer pão. Steven Seagal não pára de surpreender. Sem deixar de parte o cinema, e até com umas quantas bombas prometidas para os próximas tempos, o mestre Zen lá arranja tempo para perseguir criminosos. A revelação bombástica de que Seagal pertence ao departamento do Xerife de Jefferson Parish, no Louisiana, abalou o mundo do cinema de acção. Seagal, sempre em busca de novas formas de engordar a conta bancária, com o intuito final de engordar a sua respeitável pança, produz e protagoniza esta nova série de reality tv, denominada Steven Seagal: Lawman. O guru do tiro ao alvo, é-nos apresentado como um tough cop de aldeia no Deep South americano, mas que no fundo só quer ajudar as pessoas e os colegas a combater o crime. Para tal, Seagal, durante o dia, ajuda um colega a passar no exame de tiro ao alvo, inspirando-o com as suas técnicas asiáticas de empurrar o ar, e durante a noite persegue uns quantos suspeitos, em grandes SUVs com luzinhas vermelhas e azuis. Uma das perseguições culmina na detenção do suspeito, num parque de estacionamento do McDonald’s, e já com o suspeito no chão e com meia dúzia de polícias em volta, vemos Seagal (e outros polícias) a gritarem “Taser him, taser him!” numa cena algo reminiscente da paródia Don’t Be a Menace to South Central While Drinking Your Juice in the Hood, onde os protagonistas eram presos por, e passo a citar, “being black on a friday night”. Já agora, vale a pena referir que todos os adjectivos que são aqui usados para classificar Steven Seagal são usados por ele próprio. Vejam que vale a pena.

Reblog this post [with Zemanta]
08
Dez
09

Salvador (1986)

Corria o ano de 1986, e antes de Platoon assaltar os cinemas o senhor Oliver Stone lançou Salvador, um filme sobre a guerra civil em El Salvador. Talvez tenha sido rapidamente esquecido, com o sucesso que foi Platoon, e como tal, hoje em dia pouco mencionado é na filmografia de Stone, e injustamente, devo acrescentar. James Woods faz o papel de Richard Boyle, um foto-jornalista, que corria os conflitos do planeta em busca de fotografias que mostrassem a miséria humana e retratassem as guerras no seu horrífico esplendor. Em busca de mais uma história, e por falta de dinheiro, decide viajar com o amigo, Doctor Rock (Jim Belushi), um veterano alcoólico, sempre pronto para a farra, até El Salvador, onde a situação política se deteriora rapidamente, após os Estados Unidos decidirem apoiar o governo militar, na luta contra as milícias marxistas que juntavam o povo, um pouco por todo o país. Um excelente filme, que também serve como exemplo para aquela que tem sido uma das paixões de Oliver Stone, presente um pouco por toda a sua filmografia, que é a América Latina. Recentemente, tivemos o mediático Comandante, e South of the Border. Baseado em factos reais, vividos pelo próprio Richard Boyle, conta ainda com John Savage, Michael Murphy, Elpidia Carrillo, Juan Fernández, Valeria Wildman e Cynthia Gibb.

Junta militar dos Enxames marcha para a anexação da Póvoa da Palhaça na guerra dos três quinze dias.

Reblog this post [with Zemanta]
29
Nov
09

Jack Hunter and the Star of Heaven (2009)

No capítulo final da saga, Jack Hunter, parte em busca da segunda parte que compõe o artefacto que dá nome ao filme, the Star of Heaven, e desta vez a aventura começa na Bulgária e acaba na Turquia. Pelo meio tem menos acção que os anteriores, rodando a um ritmo mais baixo ao que a saga nos tinha habituado, mas conseguimos perceber que o orçamento desta vez foi todo gasto nos últimos minutos, em CGI, naquele que é o climax da trilogia. O elenco regressa em peso, com Thure Riefenstein a ter mais tempo de antena, na pele do maquiavélico germânico Albert Littmann. Nadia (Joanne Kelly) e Tariq (Mario Naim Bassil) continuam a acompanhar Jack na aventura, e desta vez junta-se a eles Fuad Antaki (Mert Yavuzcan) um ex-namorado de Nadia.  Com a ajuda da NSA liderada por Liz (Susan Ward) Jack eventualmente vai conseguir encontrar o artefacto e salvar o mundo da destruição ou destino parecido. Deixo só mais um comentário final à trilogia, que é muito agradável, e foi uma surpresa a forma por vezes extremamente profissional que não esperaria encontrar neste tipo de produções que são feitas com pouco orçamento. Realizado por Terry Cunningham, conta ainda com Teoman Kumbaracibasi no papel do líder da máfia russa, Petrovsky.

Grupo de Teatro Amador dos Vales do Rio encenando a última cena do Senhor dos Anéis

Vale a pena deixar de ver a bola e a caneca da cerveja a aquecer para ver isto


25
Nov
09

Asylum. Cowboys. Marcianos

Enquanto estou ocupado com a minha possível transferência para mais perto dos estúdios da Asylum, não tenho tempo para ver as bombas que vão lançando, mas tenho tempo para dar uma vista de olhos no que aí vem e já tenho que me conter nos festejos. O primeiro western Asylum vai sair em Março do próximo ano e vai chamar-se Gunslinger. Vai ser realizado pelo estreante atrás das câmeras Shane Van Dyke, filho de Barry Van Dyke e neto do apresentador de TV Dick Van Dyke. O pai Barry vai entrar no filme juntamente com Greg Evigan (que vai entrar no “mais-que-certo-sucesso” Megaconda), Sage Mears e Brian Wimmer. A Asylum promete muitos tiros de Colt, tabaco de mascar, dançarinas de saloon com ligas e shots de whisky com fartura.

Para não nos deixar já em pânico por ter que esperar até Março para ver Gunslinger a Asylum tem outra supresa agradável agendada já para a passagem de ano (há quem vá para Varadero, Serra da Estrela, Andorra ou Praça do Comércio, eu cá prefiro um filme Asylum e uma garrafinha cheia). Princess of Mars de seu nome, tem a super-estrela Antonio Sabato Jr no papel principal e conta ainda com a ex-estrela porno Traci Lords. A história, baseada no livro com o mesmo nome de Edgar Rice Burroughs (o gajo que escreveu o Tarzan) gira em torno de duas raças que estão em guerra e um soldado americano cai no planeta deles.  O teaser já está online e pode ser visto aqui.

21
Nov
09

Jack Hunter and the Quest for Akhenaten’s Tomb (2008)

jack hunter 2

Das profundezas das produções série C americanas chega a segunda parte das aventuras de Jack Hunter. O arqueólogo/caçador de tesouros regressa na busca pelo tesouro de Ugarit, imediatamente onde o primeiro episódio nos deixou. Desta vez o palco da acção muda-se com armas e bagagens para o Egipto, e na terra dos faraós, Jack Hunter (Ivan Sergei), Nadia Ramadan (Joane Kelly) e Tariq (Mario Naim Bassil) vão encontrar Lena Halstrom (Alaina Huffman), uma ex-companheira de aventuras que encontra um obelisco que lança novas pistas sobre a localização do lendário tesouro. Podem contar ainda com o némesis Albert Littmann (Thure Riefenstein) que vai complicar a missão de Jack, a sempre bem vinda máfia russa e um culto egípcio ao faraó Akhenaten. Se conseguirem passar para além dos erros factuais, de alguns maus actores que inevitavelmente nos agraciam com a sua presença nestas produções, as aventuras de Jack Hunter até cumprem na perfeição o propósito de entreter a malta durante pouco mais de hora e meia. Realizado por Terry Cunningham conta ainda com Susan Ward, Tuncel Kurtiz, Sinan Tuzcu, Mehmet Polat, Alper Kul e Savas Özdemir.

jackhunter2_still

Deixa cá ver se consigo descobrir onde andam as vinhas. Prometeram-nos tinto e branco nesta viagem e a única coisa que vejo é camelos...

Vale a pena deixar de ver a bola e a caneca da cerveja a aquecer para ver isto


Reblog this post [with Zemanta]
14
Nov
09

In the Line Of Duty 5: Middle Man (1990)

inthelineofduty5mmcover

In the Line of Duty 5: Middle Man, que no original, em cantonês, tem o espetacular título Huang jia shi jie zhi: Zhong jian ren, é uma chinesada de pancadaria e acção a potes com a super estrela Cynthia Khan. E porquê falar do quinto filme da série? Porque não começar pelo primeiro e dar a conhecer a saga toda? Prometo que um dia farei isso, mas para já o único que tenho em VHS bolorento é este e consequentemente é o único sobre o qual posso falar. Middle Man fazia as delícias de qualquer amigo que fosse lá a casa para brincar com uns GI Joe e uns He-Man e Skeletors desmembrados. Volta e meia lá ia isto para a coqueluche de três cabeças e era hora e meia a delirar com o festival de porrada e tiros ao bom estilo de Hong Kong. Cynthia Khan sabia na perfeição como agarrar um espectador que ainda não tinha entrado na puberdade. Onde outras estrelas femininas se despiam, falhando redondamente em agarrar a pequenada ao ecrã, suscitando até bocejos de enfado, Cynthia começa logo desde o primeiro minuto a fazer das suas acrobacias sobre-humanas, suscitando o cair do maxilar inferior nos espectadores. É impossível não ficarem agarrados se eu vos disser que ainda o cronómetro não atingiu os cinco minutos e já Cynthia  cumpriu a seguinte lista de tarefas: arrear num carro (?!) quem nem o Chuck Norris contra um urso; subir paredes como o Homem-Aranha; protagonizar uma luta de artes marciais; entrar numa perseguição automóvel que inclui saltos de camiões em movimento e que culmina com o antagonista a ser atropelado. Isto, senhores, é Cynthia Khan em acção. A partir daqui o filme continua sempre em alta rotação, com muitos tiroteios (bastante gráficos), perseguições automóveis e uma trama internacional de espionagem que culmina no épico duelo entre Cynthia e Kim Penn. Realizado por Chuen-Yee Cha e Chris Lee, conta ainda com David Wu, Lieh Lo, Alvina Kong, Bruce Fontaine, Simon Yam e Billy Chow no papel de General. Um must see das artes marciais e do cinema de acção de Hong Kong.

itlod5mm1

Esta manhã, uma colisão frontal na N18 entre Cynthia Khan e um automóvel ligeiro fez um morto e três feridos ligeiros. Os bombeiros voluntários da Boidobra ainda estão a investigar o sucedido e nesta altura não é possível obter comentários.

uwe-boll-thumbs-up

Reblog this post [with Zemanta]



Julho 2021
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Useful Links