05
Maio
09

Belarmino (1964)

belarmino

A vida é como o desporto, é bela. Nós é que damos cabo dela.

E trazemos hoje aqui um clássico do cinema português, Belarmino, de António da Cunha Telles, realizado por Fernando Lopes. Este poderoso documentário sobre a vida e luta (literalmente) de Belarmino Fragoso, um engraxador nos Restauradores tornado pugilista, o lutador do sorriso confiante, roubado da glória por árbitros corruptos, qual triste fado do desporto nacional, é um marco no cinema português, ao misturar os factos presentes no cinema documental com o inteligente uso da imagem de forma a contar uma história que a certo momento não parece ser de facto tão documental, a história de Belarmino claro está. Belarmino é um pugilista excepcional, mas não pelas razões que possamos pensar antes de ver este documentário. Campeão nacional de boxe aos 18 anos após ter começado com derrotas enquanto amador, treinava no grupo desportivo da Mouraria e tinha a perfeita noção de que estava a ser explorado, deixando bem patente a incrível aceitação de um ser humano que nada mais pode fazer, senão como Belarmino diz “Como podia comer?”. Transferido para outro manager para o Porto, durante dois meses fez cinco combates por um par de sapatos usados e algum dinheiro de regresso a Lisboa, onde chega de novo com fome e se vê forçado a assinar com o antigo manager. Cheio de excelentes episódios, como a véspera do último combate para um título nacional em que Belarmino andou pelo Bairro Alto até as 4 da manhã, e ao meio dia quando se foi pesar estava 1,2 Kg acima do peso permitido para os meio leves e foi obrigado a correr envolto em mantas para suar o suficiente e poder combater, ou quando acordou um combate contra Chico Santos por 12 contos e só recebeu 8 sendo que os outros 4 foram dados ao adversário, sem saber que tinha sido enganado devido a ser analfabeto. Ser humano, pugilista, macho latino, as várias facetas de Belarmino desfilam pelo ecrã evidenciadas pelas filmagens de Fernando Lopes. Uma entrevista que fica na memória com o orgulhoso Belarmino aqui aos 32 anos a dizer para a câmara que já tem a 3ª classe e já não é analfabeto. Um verdadeiro Rocky português. Imperdível.

uwe-boll-thumbs-up

Reblog this post [with Zemanta]
Anúncios

0 Responses to “Belarmino (1964)”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


Useful Links


%d bloggers like this: